SHELL

Pai de verdade

Agência: VML
Direção: Georgia Guerra-Peixe_Joca e Fábio Meirelles
Direção de Fotografia: Rambo
Direção de Produção: Merilyn Salvatierra e equipe
Direção de Arte: Lu Bueno
Direção de elenco: Nazaré de Maria
Pesquisa de personagem: Manu Carvalho, Isadora Levy
e Eduardo Tkatz
Assistente de Direção: Taty Falco, Manu Carvalho,
Isadora Levy e Eduardo Tkacz
Som direto: Deby Jay Murakawa
Montadores: Zé Antônio e Thom Bastos
Produção executiva: Moa Ramalho

Esse projeto foi uma revelação, para mim. Pensava no meu filho e sabia que alguns pais iriam amar viver esse momento especial. Queria que essa fosse a oportunidade de fazer um filho, enteado ou afilhado transformar a vida de um cara.

Fazer um filme em que a história que vamos contar passa pelo amor, sempre mexe comigo. Aqui tínhamos o elemento da surpresa e, por isso, só contei a história real para os filhos um dia antes de filmar. O filme foi inteiro pesquisado e desenhado a partir dos pais aprovados.

Pesquisamos e havia, desde o início, o desejo de ter um padrasto e pai. Queríamos diversidade e verdade. Os pais tinham que ser apaixonados por carro e amar dirigir. A história era levar um filho(a) e encaminhar seus pai até um posto e lá eles iriam encontrar um carro antigo incrível. Em seguida, o filho convida o pai a pegar a chave e dar uma volta. E essa voltinha será na pista de Interlagos.

Desafio número 1: Encontrar pais e filhos que tenham uma relação linda e que ambos saibam que essa experiência transformará suas vidas, que será inesquecível. Conseguimos! Encontramos uma menina com seu pai e um enteado com seu padrasto.

Desafio número 2: Como fazer com que tudo fosse surpresa para os pais, uma vez que precisaríamos dos filhos para ajudar na ação. Mantive a história de que eles iriam dar um depoimento para um documentário de apaixonados por carro. Um dia antes da filmagem, levamos os filhos até a locação do posto e explicamos tudo para eles, ensaiamos e pedimos ajuda dos dois. Ambos entenderam e colaboraram.

Desafio número 3: Como tirar os personagens de casa com a roupa certa, na hora certa? Contamos com a ajuda dos nossos aliados, os filhos. E tudo deu certo.

Esse filme estava completamente cronometrado. A primeira dupla chegava pela manhã. Foi encaminhada a locação. Chegaram e estavam todos escondidos, os filhos conduziram super bem. A desculpa de um documentário sobre automobilismo estava coerente com o posto de gasolina para sediar um encontro.

Fizemos a primeira parte do filme com o Rinaldo e a Giulia. Depois, uma das nossas assistentes que cuidava dessa dupla, levou-os para uma padaria para que eles pudessem desenhar e pensar com calma na lista de lugares que desejava passear com o carro. Enquanto isso fizemos a segunda dupla chegar. Filmamos. Quando terminou, fomos até a dupla 1, pegamos a lista de lugares que eles queriam passar com o carro, colocamos uma venda nos dois, uma música que já sabíamos que iria emocioná-los e os levamos para o autódromo.

Ao chegar lá, colocamos eles dentro do carro e quando o pai tirou a venda… Foi puro choro.

Tudo foi verdade e emocionante. Repetimos o mesmo processo com as duas duplas e tudo funcionou!