INQUIETUDE

movimentos, amor, arte,
estudo e realização

“Acredito que há dois movimentos que podem salvar o homem do assalto de alma que sofremos no dia a dia: a arte e o amor. Por isso, entendo que todo o meu movimento de inquietude, de realização, de troca, de busca e de estudo de linguagem estão relacionados a isso.”

Sou profundamente apaixonada pela arte da imagem em movimento e, com ela e para ela, dedico meu olhar, meus movimentos; minha entrega é incondicional.

Entendo que vim ao mundo com um talento que precisa ser compartilhado e que tive oportunidades que precisam ser replicadas. Por isso, abrir a porta da minha sala, do meu set e do meu peito para os jovens é natural. Sou rodeada por um coletivo de talentos que buscam oportunidades e, aos poucos, vou proporcionando-as à cada um.

Tenho muita facilidade em duplar, porque acredito que assim não somo, mas multiplico as possibilidades de olhar para a mesma coisa de forma diferente.

Hoje, minha jornada continua na estrada da busca de linguagem e do coletivo. Entendo que mais do que cineasta, me sinto uma contadora de histórias que tem um processo particular de criação e que em todas as etapas do filme, estou criando uma forma de ver e relacionar-se com ele, servindo isso para mim e para toda minha equipe.